Análise de World of Illusion Starring Mickey Mouse and Donald Duck

Análise de World of Illusion Starring Mickey Mouse and Donald Duck

20 de Fevereiro, 2022 0 Por Markus

Por: Cosmão

Ficha do jogo:
Data de lançamento: 14 de dezembro de 1992
Desenvolvedora: Sega, Sega AM1
Publicadora: Sega
Jogadores: Um ou dois jogadores.
Gênero: Plataforma, Aventura.
Plataforma: Mega Drive

Avaliação:
Nota: 9,0

World of Illusion já apareceu por aqui pelo nosso site com o detonado, que você pode conferir clicando aqui. Como uma análise mesmo, é a primeira vez!

Atendendo a pedidos, eis que vos trago World of Illusion Starring Mickey Mouse and Donald Duck (esse game foi lançado no Brasil pela Tec Toy, com o título traduzido para o português: World of Illusion Estrelando Mickey Mouse & Donald Duck) em sua essência, um dos melhores jogos da geração 16 bits, com um multiplayer bacanudo no super console da Sega, o Mega Drive!

O Mundo da Ilusão tem um nome bem peculiar no Japão: I Love Mickey & Donald: The Mysterious Magic Box. Foi lançado no finalzinho de 1992 no Japão, Europa e Estados Unidos, separados apenas um dia entre as versões. A história de World of Illusion envolve Mickey e Donald que, ao prepararem um número de mágica, encontram uma caixa estranha que os envolve e os transporta para o mundo da ilusão, governado pelo eterno João Bafo-de-Onça. A dupla dinâmica da Disney agora precisa se virar pra poder escapar da armadilha e voltar ao mundo real.

O principal chamariz do jogo, logo de cara, é seu visual. World of Illusion, se me lembro bem na época, fez um estardalhaço nas revistas especializadas, onde seus gráficos eram o ponto mais elogiado do game. Sem sombra de dúvidas, até hoje o jogo pode ser considerado um dos mais bonitos da geração 16 bits, mostrando uma palheta de cores que não deve em nada para o rival do Mega Drive na época, o Super NES.

Mickey e Donald percorrem vários locais que parecem terem sidos extraídos de contos da própria Disney, como a floresta encantada, o fundo do mar (A Pequena Sereia) e o País das Maravilhas cheios de cartas de baralho pulantes. Todas as fases mostram o capricho da Sega na época, desde os detalhes que saltam da tela na floresta até mesmo o clima sombrio do castelo final, todos embalados por músicas inesquecíveis! O tema da fase do fundo do oceano é de grudar no cérebro…

Para se defender, a dupla usa uma capa de mágico que transforma os inimigos em borboletas, além de congelar alguns deles por alguns segundos. Pois é, nada de pular nos inimigos aqui ou dar bundadas, o negócio funciona na base da mágica mesmo. Os controles respondem muito bem, usamos um botão pra pular, outro pra atacar e mais um pra correr, mesmo que esse último não seja lá muito utilizado no game, apenas em alguns trechos específicos, como a parte onde o Mickey precisa fugir em um corredor onde o teto está despencando.

Uma particularidade do jogo é que ele tem fases diferentes pra cada personagem e modos de jogo. Jogando sozinho com Mickey ou com Donald, ambos passam por alguns cenários únicos. Por exemplo, Mickey, ao terminar a primeira etapa da floresta, precisa escalar uma montanha com uma tempestade ao fundo. Donald encara uma ilha paradisíaca ao final do segundo estágio. Essa fase, aliás, pelo menos pra mim, é uma das mais difíceis do jogo, onde saltos precisam ser bem calculados e os inimigos que brotam da água atrapalham bastante. Se for jogar com alguém, novas fases surgem além da possibilidade de um ajudar o outro em determinados momentos. Acredito que pra aproveitar o game por completo, precisa-se terminá-lo umas 3 vezes: uma jogando com Mickey, outra com Donald e uma terceira partida jogando com alguém, o que comprova que o fator replay do jogo foi bem pensado.

Não há muito mais o que dizer sobre World of Illusion. Seu visual, suas músicas e sua jogabilidade com fases exclusivas pra cada personagem já falam por si. É um dos melhores jogos do Mega Drive e um game imperdível pra quem gosta de jogos de plataforma. Apesar da facilidade presente em quase todo o jogo (apenas a fase da praia com Donald é que dá um pouco mais de trabalho), é um passeio agradável aos olhos e ouvidos curtir esse game, principalmente se for jogar com mais alguém.

Resumão:

Prós:
+ visual incrível
+ belas canções
+ jogabilidade simples e funcional;
+ fases exclusivas para cada personagem e para dois jogadores.

Contras:
– muito fácil.

Final Score: 9,0