Análise (Review) de Ghost Sweeper

Análise (Review) de Ghost Sweeper

24 de Maio, 2022 0 Por Markus
Ficha do jogo:
Lançamento: 22 de julho de 2016
Desenvolvedor: 7 Raven Studios Co. Ltd.
Publicadora: 7 Raven Studios Co. Ltd., Totalconsole LLC
Jogadores: Um jogador
Gênero: Plataforma, Adventure, Quebra-cabeça
Idiomas: Inglês
Plataformas: Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X|S, Playstation 4, Playstation 5, PC – Computador (Microsoft Windows, macOS, Mac OS)
Classificação Etária (ESRB): Livre para todas as idades (Violência de fantasia leve).

A história do jogo é a seguinte: Após passar muitos séculos adormecido, o lorde das trevas ressuscitou das cinzas, voltou para o seu castelo e amaldiçoou todos os territórios ao redor, fazendo com que muitos fantasmas, zumbis, esqueletos e vários outros tipos de mortos-vivos passassem a caminhar, ou flutuar, no caso dos fantasmas, livremente pela terra, assombrando os moradores de todos os lugares, dando às pessoas apenas uma opção, fugir! Entretanto, quando as esperanças pareciam ter acabado, surgem os heróis “Ghost Sweepers”, para expulsar todos os monstros, fantasmas arredondados, abóboras rindo, esqueletos rangendo e muitas outras criaturas estranhas, que estão esperando para pegar você!

Ao iniciar o jogo você terá a opção de escolher entre dois personagens para seguir a sua jornada; eles possuem habilidades levemente diferentes, mas tudo que for essencial para conseguir seguir adiante em cada uma das fases poderá ser executado por qualquer um dos personagens jogáveis. Os dois possuem a habilidade de criar blocos de gelo, que serão utilizados para diversas coisas, como por exemplo servir como escudo para que algum inimigo não consiga te atingir ou para servir como escada e te permitir alcançar locais que são inacessíveis sem eles. Você deverá se posicionar para criar o bloco de gelo imediatamente à sua frente, caso queira, também pode criar um bloco de gelo no ar, para isso, basta pular e depois criar o bloco de gelo no local pretendido, o que é muito útil para, por exemplo, prender um inimigo em algum local ou fazer uma barreira para impedir que um zumbi ou fantasma chegue mais perto de você; agora tenha cuidado, pois alguns deles conseguem quebrar os seus blocos de gelo. Para criar um bloco de gelo em um local abaixo do nível onde você estiver, basta colocar o direcional para baixo e criar o bloco no local pretendido.

Além de criar blocos, você também poderá destruir os blocos que forem semelhantes aos que você consegue criar, o que te permitirá encontrar passagens secretas ou itens escondidos, além de abrir caminho para o final de algumas fases. Essa habilidade de modificar o cenário para dar fluidez à jogabilidade já foi largamente utilizada em outros jogos como artifício de permitir encontrar itens ou coisas do tipo, mas nesse game tal habilidade é essencial para conseguir finalizar algumas fases.

A sua missão em cada fase deve ser encontrar o item necessário para abrir a porta do nível, que é a chave; além disso, você terá outros itens, e até um tesouro, para serem coletados em cada fase. Esses itens coletados te conferirão estrelas. Acontece que para encontrar esses itens você terá muito inimigos no seu caminho, além de alguns enigmas de quebra-cabeça para resolver. Ao finalizar cada uma das fases, você poderá receber até quatro estrelas.

Você receberá a primeira estrela simplesmente por encontrar a saída da fase, ou seja, sempre que terminar uma fase, você ganhará pelo menos essa estrela; a segunda estrela será entregue se você coletar todos os itens da fase; a terceira estrela será sua se você terminar a fase no tempo fixado, e acredite, nas fases mais avançadas o tempo é muito curto para a quantidade de coisas que precisam ser feitas; e a quarta estrela será entregue ao você completar alguma situação especial que poderá ser diferente em cada fase; as vezes temos desafios como usar uma quantidade limitada de blocos de gelo ou não eliminar nenhum inimigo entre outras situações. Se você conseguir encontrar todos os segredos, os portões para uma área secreta serão abertos como recompensa. Além dos oito mundos normais, existem dois mundos escondidos, o que dá um total de dez mundos nesse jogo.

Para te ajudar a encarar os inimigos, você terá uma arma, que poderá aspirar ou expelir algumas coisas; por exemplo, você pode sugar um fantasma para dentro da sua máquina, e também poderá expelir um ar frio para apagar temporariamente fogueiras ou criar blocos.

Nas primeiras fases, o nível de dificuldade é realmente baixo, coisa que vai mudando com o passar das fases, e como muda! Com certeza você sentirá dificuldades em algum quebra-cabeça das fases mais avançadas, e até entender o que deve ser feito, já terá passado muita raiva… Apesar disso, a jogabilidade de Ghost Sweeper é bem simples e a curva de aprendizado é realmente rápida.

Você explorará 8 zonas diferentes, desde a Floresta Negra até The Evil Lord Lair, passando pelas aldeias e cemitérios assombrados. Cada zona tem muitas fases e muitas fases secretas. O caminho a ser percorrido no mapa de cada zona é bem semelhante ao aplicado nos mapas de diversos jogos dos antigos videogames de 16 bits, como o Super Mario World, do Super Nintendo; falando nisso, os gráficos desse game são muito semelhantes aos dos jogos da Disney que foram produzidos pela Capcom, para o Super Nintendo. São gráficos muito bonitos, coloridos e fofos, que se assemelham a um desenho animado, com muitos detalhes divertidos.

A maneira como a arte gráfica do jogo foi feita deixa passar uma sensação errada sobre o jogo, pois os gráficos e animações bonitas e fofas, que deixam a maioria dos inimigos com um aspecto amigável, parecendo com animais de estimação, ou com fantasmas camaradas, como no antigo desenho “Casper”, fazem você pensar que eles são inofensivos, porém tenha muito cuidado com eles, pois basta um toque para que você morra e tenha que iniciar a fase de novo. Ao ver esse jogo pela primeira vez, os gráficos te farão pensar que esse é um jogo infantil, porém não se engane, os quebra-cabeças colocados nessas fases exigem um planejamento estratégico e são, por vezes, difíceis e poderão tirar a paciência de muitos jogadores experientes. Sim, os gráficos são bem bonitos, mas achamos que a jogabilidade e ideia central do jogo combinaria mais com um design gráfico mais obscuro.

A música que você ouvirá ao iniciar a primeira fase é legal, te faz lembrar de um castelo cheio de vampiros ou algo assim, mas som do jogo, de maneira geral, poderá te desagradar, e o motivo para isso é a repetição excessiva da mesma música por várias e várias fases e, além disso, também porque os efeitos sonoros ao você morrer ou matar um inimigo são bem chatinhos e poderiam ser bem melhores. Possivelmente algumas pessoas irão baixar o volume do áudio na televisão, não porque a música seja ruim, e de fato a música é boa, mas porque a repetição poderá te deixará aborrecido.

Avaliação:
Gráficos: 8.0
Diversão: 9.0
Jogabilidade: 8.0
Som: 7.0
NOTA FINAL: 8.0 / 10.0

* Esta análise foi produzida a partir de uma cópia do jogo, para a plataforma Nintendo Switch, gentilmente cedida pela produtora.