Análise (Review) de Kao the Kangaroo

Análise (Review) de Kao the Kangaroo

6 de Junho, 2022 0 Por Markus
Ficha do jogo:
Lançamento: 27 de maio de 2022
Jogadores: Um jogador
Gênero: Plataforma, Ação, Arcade, Aventura
Desenvolvedora: Tate Multimedia
Publicadora: Tate Multimedia
Idiomas disponíveis: Japonês, Francês, Alemão, Italiano, Espanhol, Coreano, Português, Russo, Chinês, Inglês
Plataformas: Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X|S, PlayStation 4, PlayStation 5, PC – Computador (Microsoft Windows)
Classificação Indicativa: 10 anos

Kao The Kangaroo é uma série de jogos de plataforma em terceira dimensão de origem polonesa. Diferente do que muitos possam imaginar, esse não é o primeiro título da série; o primeiro título da série, que também foi intitulado como Kao The Kangaroo, foi inicialmente lançado de forma exclusiva para computador, apenas no seu país de origem, a Polônia, e obteve bastante sucesso, permanecendo entre os dez jogos mais vendidos do país por diversos meses; o que ocasionou o lançamento mundial do game em 08 de dezembro de 2000, para o último console produzido pela SEGA, o Dreamcast e também para computador. Posteriormente, em 11 de dezembro de 2001, o Game Boy Advance recebeu um jogo do canguru, que, apesar de ser um game totalmente diferente da versão que foi lançada no ano anterior para o Sega Dreamcast e o PC, recebeu o mesmo título: Kao The Kangaroo.

A sequência direta do primeiro jogo (a versão lançada para Dreamcast e PC), foi intitulada como Kao the Kangaroo: Round 2, e foi lançada em 4 de novembro de 2003 para PC, e posteriormente surgiu para Xbox, GameCube, Playstation 2, e em junho de 2019 foi adicionado na biblioteca da Steam. Em 2005, foi feito um remake desse game, que foi chamado como Kao Challengers e foi lançado para o Playstation Portable – PSP.

O terceiro título da série principal foi intitulado como Kao the Kangaroo: Mystery of the Volcano e lançado em dezembro de 2005, exclusivamente para computador. Após isso, o jogo parou de receber continuações, até que por iniciativa de uma campanha realizada pelos fãs da série, pedindo a volta dos jogos do simpático canguru, a produtora do jogo resolve lançar esse novo título Kao The Kangaroo, em 27 de maio de 2022 para Playstation 5, Playstation 4, Xbox Series X|S, Xbox One, Nintendo Switch e PC – Computador, via Steam.

A História e Evolução de Kao the Kangaroo (Todos os jogos: 2000-2022)

Esse novo jogo é o quarto título da série, mas não é uma sequência direta dos jogos anteriores, muito menos um remaster ou remake, mas sim um reboot completo, ou seja, é um novo jogo, que apresenta uma releitura total dos games anteriores, e está sendo lançado para todas as atuais plataformas: Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X|S, PlayStation 4, PlayStation 5 e PC. Caso tenha interesse em entender melhor o significado desses artifícios utilizados pelas produtoras dos games, confira a nossa matéria especial em que explicamos a diferencia entre Remakes, Reboots e Remasters.

A história desse novo jogo, que é intitulado simplesmente como Kao the Kangaroo, começa com o personagem principal, o Kao, tendo um pesadelo com a sua irmã, e quando ele acorda, percebe que a sua irmã, Kaia, realmente está desaparecida e decide partir em busca dela, e do seu pai, Koby, que também está desaparecido há muito tempo. Assim, ele parte em busca dos seus familiares, e para isso ele conta com a ajuda de um treinador de artes marciais, um coala chamado Walt, e também das luvas de boxe mágicas, que eram do pai dele.

É dessa forma que, após a apresentação inicial, você começa a controlar o Kao, nesse jogo de plataforma em terceira dimensão, repleto de saltos, batidas, resolução de quebra-cabeças e cheio de diversos itens para você coletar e inimigos para enfrentar durante a sua jornada, em que você irá guiar o Kao na exploração de uma grande variedade de ambientes bonitos, coloridos e extremamente detalhados, cada um guardando vários segredos para descobrir.

Na medida em que você vai progredindo no jogo, sobretudo nos primeiros momentos, Kao estará descobrindo os desafios que enfrentará, e terá que melhorar as habilidades que ele já possui, ao mesmo tempo que irá aprender algumas novas. De tempos em tempos um caranguejo irá te ensinar novos golpes e ataques; algo semelhante como acontece no primeiro jogo Banjo-Kazooie, lançado em 1998 para o Nintendo 64. Outra semelhança com o jogo da Rare é a enorme quantidade de itens colecionáveis que você terá em cada fase, e também nos quatro hubs, que são os mundos que permitem o acesso à entrada das fases.

Quanto ao estilo da jogabilidade, esse game é muito semelhante aos jogos da série principal do Crash Bandicoot, por apresentar fases com uma progressão linear, em que, na maioria do tempo você deverá seguir por um caminho determinado para conseguir chegar no fim das fases; até as famosas fases frenéticas em que somos perseguidos por algum inimigo gigante existem aqui. Em alguns momentos haverá a possibilidade de seguir por mais de um caminho, mas você logo perceberá que um desses caminhos apenas o leva até algum item ou peça importante no jogo.

Falando nos itens que devem ser coletados em cada fase, temos os cristais runas, que são peças que abrem os portões das próximas fases do jogo, e, portanto, são importantíssimas para conseguir progredir no game; moedas, diamantes, pergaminhos, baús, pedaços de coração (bem no estilo de Zelda), além das três letras que formam o nome do personagem principal, o KAO. Em cada fase você deverá coletar as letras, no mesmo estilo das letras que formam a palavra KONG, nos jogos do Donkey Kong. No geral, todos os itens são muito fáceis de serem coletados; embora alguns deles estejam escondidos, não há quase nenhuma dificuldade para que você consiga encontrar cada um deles.

As fases do jogo, assim como os gráficos de uma maneira geral não impressionam, mas são muito bonitos e coloridos, no estilo de um desenho animado humorístico e caricato, o famoso cartoon. Todos os ambientes são muito bem feitos e agradáveis aos olhos, em virtude do estilo gráfico que foi adotado pela produtora do game; mas, embora o jogo tenha sido desenvolvido na Unreal Engine 4, apresenta alguns problemas com queda da taxa de quadros, quebras de transição de cenas, serrilhados, pop in e problemas de textura, principalmente na versão do jogo para o Nintendo Switch.

O jogo inicia na ilha do Kao, que é o primeiro HUB é um local cheio de itens para você coletar e sem nenhum inimigo, esse mundo te dará passagem para as primeiras fases. As fases são diversificadas, temos florestas, ilhas, com as tradicionais fases com bastante água, montanhas de gelo, com áreas em que devemos deslizar e desviar de inimigos, fases de perseguição, em que um gorila gigante em ciam de um barril enorme corre atrás do Kao, e até circos em ilhas flutuantes.

Em cada mundo você encontrará um chefe para derrotar. Os chefes geralmente apresentam algum tipo de quebra-cabeça que deve ser resolvido, e só depois disso você poderá atacar ele. Embora os puzzles apresentam variações, no geral, o nível de dificuldade é bem baixo. O mesmo acontece com os inimigos que estão localizados dentro das fases; os combates são simples e basta você apertar sempre os mesmos botões que irá vencer, o que torna o jogo bastante fácil; aliás, o jogo como um todo apresenta um nível de dificuldade baixo e ao juntarmos isso aos gráficos bonitos e coloridos nos demonstra que o jogo é altamente recomendado para o público infantil, que deverá se agradar muito dos personagens e inimigos, que são, por vezes, engraçados, dos gráficos coloridos, bonitos e vibrantes e do nível de dificuldade que permite qualquer um chegar facilmente até o final do jogo em poucas horas; afinal, esse não é um jogo muito longo, a campanha total pode ser concluída com uma média de 6 horas de jogatina.

Esse é um jogo divertido, mas não chega a ser páreo aos jogos do Mario Bros., Banjo-Kazooie e Crash Bandicoot. Ao jogarmos Kao The Kangaroo percebemos que, exceto por pequenos problemas não muito sérios, tudo está no lugar; mas falta algo que dê aquela sensação de novidade e completude, que possa fazer com que o novo game do canguru Kao consiga, de fato, ser um game com o mesmo nível dos jogos que o inspiraram. Isso não quer dizer que o jogo seja ruim, longe disso, esse jogo é sim muito bom, mas deixa um sentimento que por muito pouco, esse jogo poderia ter se tornado em algo muito maior.

Em resumo, Kao The Kangaroo é o clássico jogo de plataforma em terceira dimensão, como os primeiros jogos do gênero. É um ótimo jogo para os que querem ter uma experiência rápida para relaxar, os jogadores casuais, os jogadores mais saudosos, os fãs da série e para o público infantil; mas esse game pode não agradar tanto os jogadores mais hardcore e os que já estão acostumados com os jogos de plataforma lançados mais recentemente como o último jogo do Mario Bros., em virtude do nível de dificuldade do jogo ser realmente muito baixo e a campanha do jogo ser curta. O jogo tem um visual bonito, colorido, vibrante e alegre, mas não traz nenhuma inovação ao gênero, e por isso, apesar de valer a pena dar uma conferida, não chega a ser um jogo indispensável para os fãs de jogos de plataforma.

Avaliação:
Gráficos: 8.0
Diversão: 8.0
Jogabilidade: 8.0
Som: 8.0
NOTA FINAL: 8.0 / 10.0

* Esta análise foi produzida a partir de uma cópia do jogo gentilmente cedida pela produtora do game.