Análise (Review) de Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge

Análise (Review) de Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge

16 de Junho, 2022 0 Por Super Lion World

Lançamento: 16 de junho de 2022
Jogadores: Multijogador
Gênero:Beat ’em up, Jogo eletrônico independente, Jogo eletrônico de luta, Jogo eletrônico casual, Adventure
Desenvolvedora: Tribute Games
Estúdios: Limited Run Games, DotEmu, Gamera Games
Plataformas:Nintendo Switch, PlayStation 4, Playstation 5, Xbox One, Xbox Series S/X, Microsoft Windows, Linux

Finalmente um novo jogo beat n’ up estilo arcade das Tartarugas Ninja está de volta entre nós. Após vários anos do clássico jogo arcade e 10 anos do lançamento de Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles in Time para o Super Nintendo, temos novamente um beat n’ up de qualidade, com vários elementos do passado e uma roupagem moderna, colocando o que há de mais atual em pixel art.

A história do game é bem simples e direta: os inimigos atrapalhados, Bebop e Rocksteady, assaltaram o Canal 6 e roubaram vários aparelhos para apoiar os planos de Krang e Shredder (o famoso Destruidor), e agora as Tartarugas devem lutar em vários locais emblemáticos da franquia para atrapalhar os planos dos vilões e vencer os soldados Foot, guerreiros Triceraton e tropas Rock a caminho da Dimensão X.

Quanto à apresentação do game, ela não poderia ser mais nostálgica. A abertura é uma animação muito legal das Tartarugas, mostrando um pouco dos vilões que encontraremos no game, com a música tema de fundo, tudo muito bem feito para trazer à tona aquela sensação de que estamos jogando um game das antiga das Tartarugas.

E como eu estava com saudade de um jogo novo nesse estilo. Imediatamente uma sensação de nostalgia tomou conta do meu ser enquanto eu via cada cena daquela abertura e cada frame do novo jogo, simplesmente tudo me lembrava um dos games que mais marcaram minha infância (TMNT: Turtles in Time).

Com relação ao menu inicial temos a opção do modo história, arcade, tutoriais, conquistas, além das configurações.

A diferença entre o modo história e arcade é que no arcade a quantidade de vidas e continues é limitada, igual antigamente. Você tem 3 vidas e quando as perder tem mais 4 continues. Caso perca tudo é Game Over e tudo começa novamente. Já no modo história você sempre começa com 3 vidas em cada fase.

Independente do modo escolhido você será levado até o menu de seleção de personagens. Aqui podemos jogar em até 6 pessoas, online, offline ou em 1 jogador. Temos 6 opções de personagens disponíveis: Leonardo, Michelangelo, Donatello, Rafael, Mestre Splinter e April O´Neil e Casey Jones (desbloqueado depois). Cada personagem tem atributos e habilidades diferentes, mas os comando para ativá-las são os mesmos. Aliás a jogabilidade aqui merece destaque.

Você tem diversos golpes disponíveis, muitos são os mesmos da época dos arcades, porém é um pouco diferente para executar. Você tem o golpe simples, a voadora, a rasteira, cambalhota, especial, agarrão, empurrão de ombro, arremesso na tela, além de vários itens que permitem utilizar golpes especiais. Temos também as famosas pizzas que recuperam sua vida, outro item que faz você dar um golpe giratório para acertar vários inimigos de uma vez e também outro que permite usar várias vezes o ataque especial.

A gameplay é frenética e dificilmente você ficará sem ter inimigos na tela. Os inimigos são bem variados, tendo os inimigos clássicos dos arcades até outros totalmente novos. A ação só fica confusa caso jogue com mais de 4 pessoas, porque fica muita coisa acontecendo na tela ao mesmo tempo.

Falando em multiplayer, o jogo roda muito bem no modo online, não apresentando lags nem travamentos. Também não encontrei bugs durante minha gameplay.

Com relação aos chefes, eles são muito divertidos de lutar, sendo bastante variados e cada um mais criativo que o outro. Você deverá ficar atento aos padrões de ataque, e saber atacar na hora certa, já que só socar um monte de botões não adianta, já que os inimigos revidam com facilidade.

Um ponto a destacar é o fator replay. Além de possuir 3 modos de dificuldade, modo história, arcade, online, local e offline, cada fase possui itens secretos para encontrar e conquistas para desbloquear, fazendo com que você jogue as fases várias vezes caso queira desbloquear tudo o que o jogo permite. Além disso há um final diferente para cada personagem escolhido.

Em relação a trilha sonora, é uma obra de arte à parte. As trilhas misturam sons de jogos antigos e até músicas tocadas com instrumentos reais e com vocais, alternando entre nostalgia e modernidade com maestria.

Fazia muito tempo que eu não me divertia tanto com um jogo das Tartarugas Ninja e tenho certeza de que esse game será um marco na história da franquia e dos jogos em pixel art! O jogo é simplesmente um dos melhores games arcade beat n’ up que já joguei na vida ( e olha que são quase 30 anos jogando videogame).

Se você tiver a oportunidade, jogue esse game agora mesmo! Ele está disponível em diversas plataformas e está também incluso no catálogo do Xbox Game Pass no lançamento, tanto para PC quanto para os consoles Xbox Series S/X, Xbox One e XCloud.

O game teria nota 10, de acordo com sua proposta. Eu só não dei nota máxima porque achei que ficou muito confuso jogar com 6 pessoas ao mesmo tempo. Mesmo assim, esse game é imperdível para quem curte um jogo estilo arcade, com muita esmagação de botões e diversão infinita!

Avaliação:
Gráficos: 10.0
Diversão: 10.0
Jogabilidade: 9.5
Som: 10.0
NOTA FINAL: 9.87 / 10.0